OREMOS PELA PAZ MUNDIAL

Fundador da Obra, Padre Adilson Simões, chora ao ver registros das vitimas inocentes da devastadora invasão da Rússia.

“Esse horrível acontecimento, que pode ter consequências desastrosas para toda a humanidade, me lembra quando, na minha adolescência, a Rússia invadiu Praga e matou milhares”


Amados e amadas, nesta tarde, em oração, vendo ao vivo a devastadora invasão russa à Ucrânia, choro pelas vítimas inocentes desse bravo povo que vai à luta para defender o seu território, a sua cultura e liberdade, sem chances nenhuma de vencer o opressor.

Esse horrível acontecimento, que pode ter consequências desastrosas para toda a humanidade, me lembra quando, na minha adolescência, a Rússia invadiu Praga e matou milhares de jovens que queriam apenas a liberdade, submetendo o povo Tcheco à humilhante submissão e às barbáries do comunismo, este infame regime, que Vladimir Putin quer fazer ressurgir no Leste Europeu.

Na verdade, é um triste recomeço de uma história, por muitos desconhecida, que deixou marcas profundas de dor e milhões de mortos.

Putin, tal qual Hitler, é a personificação do demônio. Leiam e estudem a história da antiga URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas); conheçam a doutrina marxista e vocês terão suficientes razões para amar a democracia e defender a liberdade religiosa!

Sentindo o sofrimento do povo ucraniano, ultrajados e humilhados pela bárbara invasão da Rússia, sabendo da gravidade desse momento, faço minhas a palavras de São João Paulo ll numa belíssima oração dirigida a Virgem Maria, rainha da paz:

“Ó Maria, aurora do mundo novo, Mãe dos viventes, confiamo-vos a causa da vida: olhai, Mãe, para o número sem fim de crianças a quem é impedido nascer, de pobres para quem se torna difícil viver, de homens e mulheres vítimas de inumana violência, de idosos e doentes assassinados pela indiferença ou por uma presunta compaixão.
Fazei com que todos aqueles que crêem no vosso Filho saibam anunciar com desassombro e amor aos homens do nosso tempo o Evangelho da vida.
Alcançai-lhes a graça de o acolher como um dom sempre novo, a alegria de o celebrar com gratidão em toda a sua existência e a coragem para o testemunhar com laboriosa tenacidade, para construírem, juntamente com todos os homens de boa vontade, a civilização da verdade e do amor, para louvor e glória de Deus criador e amante da vida.
Amém!”

Att., Padre Adilson Simões.

Deixe um comentário

X